sexta-feira, 13 de abril de 2012

Rádio com defeito dificulta socorro a guarda baleada


Os rádios digitais da Guarda Civil Metropolitana de São Paulo apresentaram problemas de áudio no dia 5, quando uma agente foi baleada na boca por ladrões ao impedir um roubo em uma creche no Jardim Princesa, Brasilândia (zona norte).
A central de comunicação tentou fazer contato com as guarnições da corporação para saber se a agente havia sido socorrida e também para mandar reforço para o local onde houve o confronto. Agora teve acesso a uma gravação do pedido de socorro.
O som está inaudível por diversas vezes e a central de rádio da GCM demora pelo menos 40 minutos para descobrir o endereço do tiroteio e também o hospital no qual a agente foi socorrida. A Secretaria Municipal de Segurança Urbana, responsável pela GCM, informou que vai apurar o caso, e não comentou as queixas sobre o mau funcionamento dos rádios de comunicação.
Comentário do GCM Brito.
Este problema de comunicação no sistema de Rádio da Guarda Civil Metropolitana, já vem acontecendo há muito tempo, problema este que acontece na Zona Sul da cidade, feito vários relatórios informando o problema e nunca resolvido. O que se ouve na verdade da Cetel ou Central, e que não estamos usando incorretamente os aparelho  RÁDIOS DE VIATURAS E HT's, esta na hora da Secretaria de Segurança Urbana, ver o que esta acontecendo, pois não pode permitir que Agentes da Guarda Civil Metropolitana venha perder as suas vidas ou sofrerem danos físicos por falta de comunicação entre os Guardas Civis Metropolitanos.
Fonte: http://www.agora.uol.com.br/saopaulo/ult10103u1074885.shtml

Postar um comentário