terça-feira, 27 de março de 2012

Marinha vai treinar Guardas Civis Metropolitanos para fiscalizar motos aquáticas em SP


A Prefeitura de São Paulo e o 8 º Distrito Naval da Marinha assinaram neste domingo (18) um protocolo de intenções para disciplinar o uso de motos aquáticas na Represa Guarapiranga, na Zona Sul de São Paulo. O documento foi assinado pelo prefeito Gilberto Kassab (PSD) e pelo vice-almirante Luiz Guilherme Sá de Gusmão. Eles fizeram uma vistoria conjunta na represa. O protocolo prevê que a Marinha vai treinar agentes municipais e Guardas Civis Metropolitanos para realizar a fiscalização. O projeto será estendido, em uma fase seguinte, à represa Billings. Uma campanha preventiva, com a distribuição de folhetos, começa neste fim de semana.
"Nós vamos treinar nossos parceiros da Guarda Civil Metropolitana e dos Bombeiros, que nos ajudarão na parte externa, fiscalizando a chegada das embarcações. Junto com a Prefeitura, nós delimitaremos onde as embarcações poderão adentrar ao espelho d´água e ali nós vamos verificar se a pessoa que está colocando a embarcação está qualificada, se a embarcação está cadastrada", disse o almirante Gusmão.
Ele afirmou que o principal objetivo é conscientizar a população para evitar acidentes como os que ocorreram nos últimos meses. "Das nove ações que listamos neste protocolo, oito são referentes à conscientização. É importantíssimo o pai não deixar o menor pilotar embarcação e alguém que se excedeu no consumo de bebida não pilotar", afirmou.
"Tragédias aconteceram nos últimos meses, crianças morreram em acidentes e algo precisava ser feito. Está hoje clara a necessidade de se integrar os serviços", disse Kassab.
No último dia 6, o secretário das Subprefeituras, Ronaldo Camargo, participou de uma reunião de cerca de duas horas no Comando do 8º Distrito Naval com o capitão de Mar e Guerra, Ciro Barbosa. Também participaram do encontro os secretários da Segurança Urbana, Edsom Ortega, e de Controle Urbano, Orlando Almeida.
Camargo deu alguns exemplos do que as ações conjuntas de fiscalização devem coibir. "Em algumas das praias, há total possibilidade de um proprietário de uma moto aquática desembarcar o seu veículo, através de uma carreta, em qualquer praia. E isso a Prefeitura e a Marinha proibirão", afirmou.
"Em algumas das praias temos serviços de restaurantes e de bar. Temos informações de que vários condutores almoçam, bebem bebida alcoólica, pegam seu equipamento e vão brincar. Tivemos acidentes na própria represa há dois meses."



Postar um comentário