quinta-feira, 31 de maio de 2012

Após sumiço no Deic, delegado quer mudar forma de armazenar armas



Seis armas sumiram de dentro do Deic, o departamento que investiga o crime organizado. Elas ficavam guardadas onde só policiais têm acesso. Por causa do caso, o delegado-geral de São Paulo, Marcos Carneiro Lima, quer mudar a forma como a Polícia Civil guarda as armas.
“Entendia-se que isso era o suficiente porque, como são os policiais que frequentam esses ambientes, que são mais restritos. Mas agora constatamos que isso tem que ser mudado”, afirmou ele ao SPTV.
Na sede do Deic, na Zona Norte de São Paulo, nada de cofre ou monitoramento de câmeras. Em armários de madeira fechados com chave é que ficam armas da Polícia Civil. Na semana passada, os policiais deram conta do sumiço de quatro submetralhadoras, uma espingarda calibre 12 e uma carabina. Elas pertenciam à delegacia de crimes contra o patrimônio do Deic.
A polícia deu falta do armamento quando foi feita uma conferência de todo o material. Para o delegado-geral da Polícia Civil em São Paulo, os principais suspeitos são os policiais que trabalham no departamento. Lima disse que um inquérito policial já foi aberto. Ele quer saber quais foram os últimos policiais que trabalharam com as armas e quem tinha as chaves do armário. O delegado disse que os números de registro das armas que sumiram vão ser bloqueados.
Veja vídeo
Fonte: www.g1.com.br
Postar um comentário