quinta-feira, 27 de setembro de 2012

ROTA TEM NOVO COMANDANTE


Governo muda comandante da Rota
O Tenente-Coronel Nivaldo César Restivo é o novo comandante das Rondas Ostensivas Tobias Aguiar (Rota). De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP) de São Paulo, além do comando da Rota, outras áreas da Polícia Militar (PM) passaram por mudanças. Restiva vai substituir tenente-coronel Salvador Modesto Madia, que ficou 10 meses à frente da tropa de elite da PM paulista.
A decisão foi publicada nesta quarta-feira (26) no Diário Oficial do Estado. Nela, foram anunciadas transferências de mais de 50 oficiais "por conveniência de serviço". A SSP informou que vai divulgar uma nota sobre as mudanças ainda nesta quarta.
O tenente-coronel Madia é um dos réus pelas mortes dos 111 presos no caso que ficou conhecido como massacre do Carandiu, em 1992. Na época, o então tenente negou as acusações de que ele e a tropa tenham executado os presos após uma rebelião. O processo está parado na Justiça no aguardo de laudos periciais.
Sob o comando de Madia, a Rota matou 65 pessoas entre janeiro e agosto de 2012, segundo a Ouvidoria da Polícia do Estado de São Paulo. O número representa aumento de 20% se comparado com o mesmo período do ano passado, quando foram mortos 54 suspeitos.

O levantamento da Ouvidoria ainda não incluiu os dados de setembro, que acrescentarão ao menos mais nove mortes ocorridas em Várzea Paulista, durante ação da Rota em uma chácara, e a morte de dois homens, em Parelheiros, suspeitos de envolvimento com tráfico de drogas.
Nas duas ocorrências, os agentes alegaram que os casos foram de resistência à prisão seguida de morte, e que só revidaram os disparos para se defender. Para o ouvidor Luiz Gonzaga Dantas, a média de cerca de 8 mortos por mês preocupa por representar aumento no índice de letalidade da Rota.
Estatísticas
A mudança ocorre um dia após o governo anunciar os dados mensais relativos às estatísticas da segurança no estado. Segundo a SSP, os homicídios tiveram alta de 15,2% no mês de agosto em relação a julho na capital paulista. No período, foram cometidos 106 assassinatos na cidade de São Paulo, contra 92 no mês anterior.
A alta é a mesma em comparação ao mesmo mês do ano passado, também 92 assassinatos registrados: 15,2%. No acumulado do ano, o total é de 785 mortes violentas na capital. De janeiro a agosto de 2011, 680 homicídios tinham sido registrados. A elevação na comparação entre os dois períodos é de 15,44%.
Via Facebook Admiradores  ROTA
Postar um comentário