sábado, 12 de maio de 2012

Entrevista Especial - Patrícia Aparecida da Costa

Por Dennis Guerra 
Para comemorar o próximo Dia das Mães, o Blog GCM Motociclista Guerra faz uma entrevista especial com Patrícia Aparecida, a Guarda Civil da cidade de São Paulo que ganhou notoriedade após salvar a vida do parceiro e frustar um assalto. 
GCMF Patrícia e a cadela Safira
Blog: Quem é a Guarda Civil Patrícia?
Patrícia: A Guarda Civil Metropolitana Patrícia Aparecida da Costa é uma profissional que gosta muito do que faz, pois foi com muito esforço e com muita dificuldade que consegui ingressar nesta Corporação. (...)
Blog: E quem é a Patrícia fora da corporação? Como você se define hoje?
Patrícia: A Patrícia fora da Corporação é mãe, dona de casa, irmã, amiga. Que o diga os amigos, os colegas de serviço e os vizinhos que podem contar comigo a qualquer hora e a qualquer momento.
Blog: Qual é a sua idade? Você tem filhos?
Patrícia: Eu tenho 36 anos e uma filha de sete anos de idade. Há quase 14 anos faço parte da Guarda Civil Metropolitana. E enquanto estiver no exercício da função pretendo fazer jus ao nosso azul.
Blog: O que lhe motivou à ingressar em uma corporação de segurança pública? O que a sua filha pensa a respeito?
Patrícia: Desde os meus 18 anos tentava ingressar na PM ou nas Forças Armadas, mais nunca obtive êxito. Mas foi num dia que ao entrar no ônibus indo para Santo Amaro, onde eu trabalhava na época, havia um folheto colado no vidro informando que estava aberto concurso público para GCM. Admito que não conhecia qual era o real papel da GCM para a sociedade, mas ao começar o curso no Departamento de Ensino, hoje Centro de Formação em Segurança Urbana, me interessei, gostei e ingressei. Minha mãe nunca aprovou, pois morávamos numa favela e ela tinha medo. Já minha filha gosta de ter uma mãe policial.
Blog: Qual é a sua maior satisfação no trabalho? 
Patrícia: A minha maior satisfação é ao final de cada plantão sentir-me com o dever cumprido e que de alguma maneira, ao dar uma informação, ao rondar uma escola ou fazer o policiamento fixo contribuí para uma boa imagem da nossa Corporação.
Blog: Você tornou-se um referência a todos os profissionais de segurança pública do país após uma ocorrência em que, mesmo tendo sido atingida na boca por um disparo de arma de fogo, ainda assim conseguiu salvar a vida do seu parceiro e deter os agressores. O que você pensa a respeito?
Patrícia: É o que um policial faz. É o que sempre falo: somos uma família, uma equipe, que devemos cuidar um do outro, mesmo porque somos mães e pais de família, temos compromisso. Alguns não levam a sério nosso trabalho, acham que não 'pega nada', mas eu discordo, pois mesmo estando no QAP e QRV* fomos surpreendidos pela audácia dos delinquentes.
Blog: Algumas pessoas acreditam que você tem grandes chances de ser indicada à algum tipo de homenagem. Qual é a sua opinião quanto a isso?
Patrícia: Pra mim o mais importante é que graças a Deus meu parceiro e eu estamos bem, na ocorrência nenhum inocente foi atingido e que os individuos foram todos presos, numa ação de equipe. Quanto ao mérito, só cumprí o meu dever como profissional.
Blog: Passar por um experiência como essa não deve ser fácil. Você pensa em desistir da carreira policial?
Patrícia: Quando conheci e entrei na Corporação já sabia dos riscos a que estamos sujeitos na nossa profissão. Jamais pensei em desistir: eu visto, eu sou azul e como dizem nossos irmãos da Guarda Ambiental somos "Selva" !!!!!
Blog: Qual é o maior presente para você neste Dia das Mães?
Patrícia: O maior presente pra mim neste dia das mães será lembrar do dia em que tive alta do hospital e ao chegar em casa, abraçar e beijar minha filha.
Blog: A quem você dedica este dia?
Patrícia: Eu dedico este dia à todas as mães policiais e guerreiras. Aliás, dedico à todas as mulheres que tenham profissões lícitas. Parabéns! Que Deus abençoe a todas.
Bate - Volta:
Um lugar: Minha casa
Uma pessoa: Minha filha
Um sonho: Ter a minha casa própria
Uma lembrança: Minha mãe
Uma mensagem: Para todos que fazem parte da nossa Corporação, valorizem mais a vida: levem à sério e tenham mais comprometimento profissional, independentemente se tem ou não afinidade, temos de ser profissionais, pois numa equipe a vida de um depende do outro. Agradeço a Deus em primeiro lugar, e aos meus amigos que estão contribuindo e muito para minha recuperação, amo todos vocês nunca se esqueçam disso!

Agradecimentos: Para a realização dessa entrevista, contei com o apoio dos GCM's Almeida e Magnus, que intermediaram o contato com a GCMF Patrícia. Eles me proporcionaram a chance de conhecer uma mulher de caráter firme e compromisso ímpar com a profissão. Também quero agradecer à jornalista Amanda, por tudo o que me ensinou.

Obrigado a todos!
Dennis Guerra

NOTA DO AUTOR DO BLOG : As siglas QAP e QRV são códigos utilizados na ação policial para facilitar e agilizar a comunicação. No texto, assume um caráter de 'linguagem coloquial policial' para definir 'estar em total estado de atenção e disposição para o serviço'.
Acompanhe a Matéria desta GCMF Guerreira Selva para você Patricia e todas as mulheres.


Postar um comentário