sábado, 14 de julho de 2012

Inspetoria Regional de Vila Prudente conta com efetivo da Guarda Ambiental

Há pouco mais de um mês, a Inspetoria Regional Vila Prudente da Guarda Civil Metropolitana (GCM) passou a contar com equipes da Guarda Ambiental, especializada na defesa das águas, de áreas verdes, áreas de risco e parques. Outra responsabilidade do grupamento é o combate ao despejo irregular de entulho e lixo, problema bastante constante na região.
"Já mapeamos as áreas com mais frequência de descarte e vamos batalhar para coibir tais atos. Esse é um trabalho intensivo de toda GCM, que agora ganhou o apoio da Guarda Ambiental, que está orientada a apreender veículos e encaminhar os motoristas para a polícia, se for caracterizado o crime ambiental. Também continuaremos sobrevoando mensalmente a região para analisar a situação das áreas verdes e de risco, o que facilita a identificação de problemas”, comenta o Inspetor Wagner Oscar Rufino, responsável pela Inspetoria da Vila Prudente.
A princípio, o grupamento conta com oito guardas, divididos em quatro equipes de dois turnos diurnos. “De início, remanejamos guardas da nossa inspetoria para o serviço. Solicitamos mais efetivo e estamos no aguardo. O ideal seriam seis guardas por turno. Mas o trabalho vem mostrando resultados e a Guarda Ambiental será muito importante na preservação das áreas da região”, ressalta Rufino.
No último dia 27, a fiscalização já surtiu efeito e os guardas conseguiram apreender um caminhão que estava transportando entulho de forma ilegal na Fazenda da Juta. “O veículo não tinha a rede de proteção nem a autorização da Limpurb para carregar o material. Levamos o caminhão para o pátio e o motorista foi multado”, explica o guarda ambiental Osni.
Durante a visita da reportagem à Inspetoria, no último dia 3, os guardas ambientais conseguiram apreender quatro aves, sendo duas silvestres, que eram mantidas irregularmente em gaiolas em uma árvore da rua Sauber, no Sapopemba. “Elas estavam no sol, com a gaiola imunda e alimentação inadequada. Duas das aves são canários, que podem ser domesticados, mas as outras são silvestres. Porém, como ninguém se apresentou como proprietário das gaiolas, apreendemos todos os animais”, contou Osni, explicando que os pássaros seriam levados para o Parque Ecológico do Tietê, onde há um trabalho especifico para estes casos.
Osni também explicou que foram os próprios guardas que se inscreveram para o serviço. “Sempre quis trabalhar na Guarda Ambiental, mas a única unidade que tinha ficava longe. Logo que surgiu a unidade aqui me coloquei a disposição. É um trabalho bonito, árduo e intenso, que ajuda e muito a cidade”, completou.
História
A Guarda Ambiental da GCM foi criada em São Paulo em 2007 para trabalhar em conjunto com a Operação Defesa das Águas, da Prefeitura. O grupamento tem o foco inicial de aprimorar os trabalhos de fiscalização às Áreas de Proteção Ambiental (APAs), aumentando o combate às ocupações irregulares, aos danos ambientais, fazendo a prevenção e a inibição de despejos de entulhos e produtos químicos em ruas e rios. A Guarda Ambiental também passou a ser responsável pelo policiamento em todos os parques municipais da cidade.
Fonte: www.folhavp.com.br
Postar um comentário