quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Guarda de Campinas flagrado em briga entre torcidas será demitido

O guarda municipal de Campinas (SP) flagrado na briga durante o jogo entre Corinthians e Vasco, em Brasília (DF), será demitido nesta quinta-feira (18), segundo comunicado divulgado pela Prefeitura. Raimundo César Faustino, que também é vereador em Francisco Morato (SP) e integrante da Gaviões da Fiel, respondia a uma série de sindicâncias na GM e um relatório da corregedoria pediu a exoneração do servidor nesta quarta (18). Veja vídeo.
De acordo com o documento encaminhado ao prefeito Jonas Donizette (PSB) o guarda foi considerado culpado em pelo menos 10 apurações de atos de indisciplina, entre eles, os de desaparecimento de objetos da corporação, a prática de abuso de autoridade, crime de lesão, entre outros. A exoneração será publicada na edição do Diário Oficial desta quinta.
O relatório também considera a confusão ocorrida na partida do dia 25 de agosto , quando, no entender da Corregedoria, Faustino teria exposto a corporação de forma negativa ao aparecer em rede nacional em confronto com policiais militares. A apuração sobre este fato, entretanto, ainda não foi concluída, já que o guarda ainda não se defendeu das acusações.
Na recomendação de demissão enviada ao prefeito, os corregedores mencionam, ainda, que de 2004 a 2013, o guarda esteve em licença médica por 900 dias, sendo que no dia da briga no Estádio Mané Garrincha, ele estava afastado por problemas médicos.
O G1 tentou contato com Faustino por telefone, mas ele não atendeu e nem respondeu aos recados deixados na caixa postal. A reportagem tentou contato, ainda, no gabinete dele na Câmara de Francisco Morato, sem sucesso. De acordo com a Prefeitura, desde que ele voltou da licença médica, no dia 2 de setembro, ele executava sua função normalmente na central de monitoramento por câmeras da cidade.
Briga
A confusão envolvendo Faustino ocorreu durante o intervalo da partida entre Vasco e Corinthians, no Estádio Mane Garrincha, em Brasília, pelo Brasileirão. Membros de torcidas organizadas do Timão aproveitaram o fato de o estádio não contar com divisórias e invadiram o setor destinado aos vascaínos. Surpreendida, a Polícia Militar teve trabalho para mandar os corintianos de volta ao local onde estavam posicionados.
Os policiais utilizaram spray de pimenta para tentar conter a confusão e alguns torcedores foram feridos. O guarda e vereador aparece em uma das fotos dando um chute contra um militar. À época, ele se manifestou por meio de nota na qual afirmou que envolveu-se na confusão para defender um torcedor da ação de agentes de segurança.
“No meu ímpeto de defesa, só quis que ele parasse de bater no torcedor. Primeiro tentei colocar a mão na frente de uma borrachada, mas ele continuou e sem pensar chutei o policial. Apanhei bastante por esse chute”, escreveu no comunicado. Ele também afirmou no texto que “deveria ter agido de outra forma”.
Fonte: G1
Postar um comentário