domingo, 18 de novembro de 2012

GM falava ao celular com a mulher antes de morrer em Estiva Gerbi, SP

O guarda civil municipal Márcio Aparecido Juliare, de 45 anos, morto durante um assalto a um posto de combustíveis na noite de sábado (17), em Estiva Gerbi (SP), estava falando ao celular com a mulher antes de ser atingido nas costas por um dos assaltantes. A informação é do comandante da Guarda Civil Municipal, José Carlos Del Passo. O guarda estava dentro do carro e ao perceber a movimentação tentou prender os criminosos.
Testemunhas disseram que o guarda fazia “bico” de segurança no local nas horas vagas. Sobre isso, o responsável pela corporação declarou que sabe apenas que Juliare estava em férias.
Sede da Guarda Civil Municipal de Estiva Gerbi (Foto: Reprodução EPTV)
Sede da Guarda Civil Municipal de Estiva Gerbi (Foto: Reprodução EPTV)
Del Passo disse ainda que não está descartada a hipótese dos assaltantes terem disparado por saberem que Juliare era agente de segurança.“Com certeza sabiam que ele era polícia”, afirmou o comandante.
Questionado sobre casos de policiais civis e militares vítimas de atentados no estado de São Paulo, Del Passo descartou ligação entre o latrocínio, roubo seguido de morte, e os ataques creditados a uma facção criminosa. Para ele, o caso foi um latrocínio.
O Caso
Dois homens chegaram ao posto de combustíveis localizado na entrada de Estiva Gerbi por volta das 21h de sábado (17).
Segundo a Guarda Civil Municipal e a Polícia Militar, Márcio Aparecido Juliare tentou dar voz de prisão aos assaltantes e foi atingido por dois tiros, sendo um nas costas. Ele foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu aos ferimentos. Ninguém foi preso. Os ladrões levaram R$ 800 do estabelecimento.
Fonte:http://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/2012/11/gm-falava-ao-celular-com-mulher-antes-de-morrer-em-estiva-gerbi-sp.html
Postar um comentário